quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

TOCANTES - Dourovale

(Este texto é dedicado de forma tardia e carinhosa à Jornalista e Amiga LUCIANA DIAS, pessoa sincera, solidária, admirável... profissional tão ética que soube não se fazer notícia. A última música deste texto começou a tocar no rádio quando decidi fazer esta homenagem, então eu a coloquei também para Luciana. Espero que ela goste).








No início dos anos 80  Marcelo Rubens Paiva lança, pela histórica Editora Brasiliense, seu primeiro livro.
FELIZ ANO VELHO! Não é apenas um livro que fala de luta e superação. Misturando os tempos, ele relata o seu descobrir o mundo e aprender que nele há muitos mistérios. Algumas questões, alguns medos, algumas incompreensões  que eu debatia e trazia apareceram ali. Eu me traduzia nas palavras de Paiva. Éramos de classes sociais diferentes e isso nos distanciava. Contudo éramos jovens e tínhamos sonhos demais (quem sonhou só vale se já sonhou demais – Beto Guedes).
Para Fernando Pessoa os sonhos não acabam quando acordamos, mas sim quando levantamos.
“...
Conquistamos todo o mundo antes de nos levantar da cama;
Mas acordamos e ele é opaco,
Levantamo-nos e ele é alheio,
Saímos de casa e ele é a terra inteira,
Mais o sistema solar e a Via Láctea e o Indefinido.
...”
Algumas vezes só nos levantamos da cama dos sonhos ao perdermos o chão.
Infelizmente um mergulho maldito e maldado tornou o Marcelo um tetraplégico...

Nessa mesma época, João Carlos Pecci lança pela, Summus Editoral, MINHA PROFISSÃO É ANDAR. Livro com situação semelhante e  também motivador e de enorme sucesso, apesar de não me trazer as inquietudes da transposição adolescente/adulto, também é motivador e inspirador.
Não sou de superestimar nem subestimar o poder dos livros, mas, além de mostrar a possibilidade de superar ou suportar obstáculos “intransponíveis”, esses livros trouxeram o debate sobre acessibilidade e direitos  aos que têm necessidades especiais. Ou pode ser que já era o tempo desses debates.

Em 22 de junho de 2015, num show do Teatro Mágico, em Osasco, vi o Douglas Jericó ser elevado ao palco numa cadeira de rodas e cantar junto com o Fernando Anitelli. Emocionante! Tempos depois conheci o Dôdi em um show em que se apresentou na FUNARTE.
A história do Dôdi é emocionante. Ele, um dia...
Melhor ele mesmo contar. Veja o vídeo


Domingo, dia 18, assisti à peça “OS INTOCÁVEIS”,  com Marcello Airoldi, Val Perré, Eliana Guttman, Bruna Miglioranza, Carolina Parra, Ricardo Ripa e Fernando Oliveira.
Todo elenco vai muito bem. Val Perré faz você rir do início ao fim da peça, sensacional.
Podendo mover apenas a cabeça e tendo como recursos teatrais apenas as expressões faciais e a voz, Marcello Airoldi dá uma aula de intepretação. O corpo dele se torna no palco um boneco de pano.

Deixa que lhe carreguem, que lhe movam sem oferecer resistência, sem ajeitar um dedo sequer (sim, eu fiquei observando se ele arrumaria os dedos da mãos quando o colocavam na cadeira e eles ficavam um pouco tortos e desesticados).
A história é comovente. Procurando alguém que lhe sirva como braços e pernas, o tetraplégico escolhe aquele que lhe trata sem piedade, sem superioridade, como um igual. Os dois se ajudam e evoluem.
O meu amigo Dôdi também tem seu Val Perré (mais bonita), é sua companheira Milena Possidonio.

Nossos limites e nossas limitações existem. Não podemos tudo. Não podemos sempre. Estamos presos “nesta cela de ossos, carne e sangue, dando ordens a quem não sabe, obedecendo a quem tem” (Zé Rodrix). Mas isso não é o fim.
Conquistar, evoluir, alcançar, vitoriar... não são certezas. São possibilidades!
Tudo depende se você vai ou não dar uma chance para a sua evolução.
Superemo-nos!

Luciana, esteja em paz!  

7 comentários:

  1. mta sensibilidade no texto, amei!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado. Isso incentiva a gente!

      Excluir
  2. Amei o texto. Nooooossa...quanta snsibilidade! Vc sabe, como ninguém, captar a alma (ânima) das palavras e dos fatos. Bom analista, contista, historiador e comentarista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei suas motivadoras palavras. Muito Obrigado!

      Excluir
  3. Gostei muito do texto.você sabe como ninguém tocar no profundo da alma , revelando os segredos mais íntimos que guardamos.Revela o pensar , o agir mais oculto, .Desnuda a alma e fala dos sentimentos infinitos do homem .Parabéns .

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do texto.você sabe como ninguém tocar no profundo da alma , revelando os segredos mais íntimos que guardamos.Revela o pensar , o agir mais oculto, .Desnuda a alma e fala dos sentimentos infinitos do homem .Parabéns .

    ResponderExcluir